Follow by Email

segunda-feira, 4 de julho de 2011

O puto semiótico: tô de vorta, sô

O puto semiótico: tô de vorta, sô: "Amigos viRtu@is (com erre retroflexo mesmo, mas amigo de todos os outros erres desse PoRtuguês Brasileiro ora) Agora realmente estou entra..."

tô de vorta, sô


Amigos viRtu@is (com erre retroflexo mesmo, mas amigo de todos os outros erres desse PoRtuguês Brasileiro ora)

Agora realmente estou entrando na ativa, não porque não fora ativo antigamente, mas porque estou quase virando gente... Talvez a pressão ou ausência pela dedicação à pesquisa de Doutorado que realizei nos últimos 5 anos tenham feito com que não me dedicasse a escrever sem compromissos ou com compromissos diferentes dos assumidos na Academia. Aqui não quero ser cientista, não quero praticar a minha profissão, não quero obter dados linguísticos, não quero nada disso... quero apenas um lugar ao sol para falar do que quiser, para voltar a desenvolver meu lado artístico.

No último sábado, eu e Flávio Rabelo, abrimos nossa casa (Saudável Casa Subversiva - Campinas) para o X Festival de Apartamento. Foi muito intenso!

Agradeço a presença de todos em nossa casa e todo o respeito que tiveram pelo espaço, pelas plantas (minhas filhas queridas), pelo lar (não tivemos nenhum problema) e por nós mesmos já que construímos coletivamente um espaço de comunhão pela arte, pelo CORPO!

[ ]s

pATRIK

domingo, 26 de outubro de 2008

Uma rave é legal, gostosa pra dançar, mas custa quase 100 reais só a entrada, a água é uns cinco reais nos melhores casos, vai quem tem carro ou pode pagar...

MANIFESTO RAVER OU O QUE SOBROU DOS HIPPIES



Escolhemos o êxtase como estado emocional
Escolhemos o amor como nutriente
Escolhemos a tecnologia como vício
Escolhemos a música como religião
Escolhemos o conhecimento como moeda
E não escolhemos nada como política
Escolhemos a utopia como sociedade, ainda que saibamos que nunca acontecerá
Você pode nos odiar
Você pode nos ignorar
Você pode não nos entender
Você pode nem mesmo saber da nossa existência
Nós apenas esperamos que você não se importe em julgar-nos
Porque nós nunca julgaremos você
Nós não somos criminosos
Nós não somos desiludidos
Nós não somos viciados em drogas
Nós não somos crianças ingênuas
Nós somos uma massa, uma aldeia tribal global que transcende as leis feitas
pelo homem, a física, a geografia e o próprio tempo
Nós somos uma Massa
A Massa!!!

No princípio fomos tragados pelo som.
Vindo de longe, trovejando, abafado, ecoando uma batida comparada com o
coração de uma mãe acalmando uma criança em seu útero de concreto, metal
e
fios elétricos.
Fomos sugados de volta pra dentro deste útero, e lá dentro, no seu calor,
na
sua umidade e escuridão, nos chegamos a aceitar o fato de que somos todos
iguais.
Não apenas perante a escuridão e para nós mesmos, mas perante essa mesma
música batendo em nós e passando através de nossas almas: nós somos todos
iguais.
Até que o sol nasça para queimar nossos olhos ao revelar a realidade
distorcida de um mundo que vocês criaram para nós
nós dançamos vigorosamente com nossos irmãos e irmãs em celebração da nossa
vida, da nossa cultura e dos valores nos quais nós
acreditamos:
Paz, Amor, Liberdade, Tolerância, Unidade, Harmonia,
Expressão, Responsabilidade e Respeito
Nós escolhemos a ignorância como nosso inimigo
Nós escolhemos a informação como nossa arma
Nós escolhemos o crime de burlar e desafiar quaisquer leis que vocês criem
para nos impedir de celebrar a nossa existência
Mas saiba que enquanto você pode acabar com qualquer festa
em qualquer noite
em qualquer cidade
em qualquer país ou continente deste lindo planeta,
você nunca poderá acabar com a festa inteira
Você não tem acesso a esse controle
Não importa o que você pense
a música nunca vai parar
A batida do coração nunca vai desaparecer
A festa nunca vai acabar!!!!!!!